Publicado por: Carlos Scomazzon | sexta-feira, agosto 14, 2009

Caixa Cultural da Sé recebe a exposição ‘Imagens Humanas’

EV390552De 15 de agosto a 27 de setembro, a Caixa Cultural da Sé, em São Paulo, recebe a exposição Imagens Humanas, do renomado fotógrafo João Roberto Ripper. Com coordenação geral e produção executiva de Mariana Marinho (Dona Rosa Produções) e curadoria de Dante Gastaldoni, a mostra conta com 70 ampliações do fotógrafo tiradas ao longo de sua carreira, além de um painel com mais de 200 retratos com rostos de brasileiros de diversas regiões, raças e cores, selecionadas de seu arquivo pessoal com mais de 150 mil fotos. Nesses 35 anos, Ripper aliou a excelência fotográfica à militância social como poucos. Seu trabalho, apoiado sobre total domínio técnico e apuro estético impressionante, fascina não só pela beleza, mas por retratar a realidade crua e sem concessões. Ripper cobriu o Brasil de norte a sul, com um olhar poético e investigativo, provocou “furos de reportagem” e ganhou vários prêmios internacionais com seu trabalho focado em Direitos Humanos. Imagens Humanas é a primeira exposição individual de Ripper no Brasil. A mostra instiga o público a ver bem de perto o povo brasileiro na sua individualidade, do mesmo modo como o fotógrafo o observa.

“Poucas imagens são tão radicalmente humanas quanto as fotografias produzidas por João Roberto Ripper. Elas são fruto de um olhar humanista sobre os muitos territórios que integram nosso país e constituem um vigoroso painel fotográfico do povo brasileiro. O fio condutor desta documentação fotográfica são os Direitos Humanos que sempre nortearam Ripper”, declara Dante Gastaldoni, curador da exposição. Também faz parte da mostra o Debate Imagens Humanas – Fotografia e Direitos Humanos, no dia 9 de setembro, às 19h, na Caixa Cultural da Sé. O debate conta com a participação de João Roberto Ripper e o jornalista e doutor em Ciência Política Leonardo Sakamoto (coordenador da ONG Repórter Brasil e integrante do Conatrae – Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo). A mediação é de Dante Gastaldoni.

E ainda esse ano – em que se comemoram os 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, será lançado um livro bilíngüe também chamado Imagens Humanas. Fruto de uma pesquisa iconográfica bastante grande, o livro, que terá distribuição internacional, apresentará o registro de cerca de 200 fotos. Além de seu trabalho como fotógrafo, Ripper está desde 2004 à frente da Escola de Fotógrafos Populares, na Maré, uma das maiores favelas do Rio de Janeiro. Lá ele ensina fotógrafos e os prepara para o mercado de trabalho. O projeto ganhou o Prêmio Faz Diferença, do jornal O Globo, em março de 2008.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: