Publicado por: Carlos Scomazzon | quarta-feira, outubro 28, 2009

Educação & Literatura terá Ilan Brenman em Belo Horizonte

Quando criança, ele queria ser bombeiro e astronauta. O tempo passou e ele se tornou pai da Íris e da Lis, Mestre e Doutor pela Faculdade de Educação da USP, bacharel em Psicologia pela PUC-SP, contador de histórias e autor de diversos livros, muitos deles premiadíssimos. Encerrando o mês das crianças, o Instituto Cultural Aletria, em parceria com a Editora Lê, traz a Belo Horizonte o renomado educador Ilan Brenman para um bate-papo com professores, bibliotecários, mediadores de leitura e pessoas envolvidas com a formação dos pequenos.

Afinal, se falar de criança remete a brincadeira e diversão, também há espaço para temas importantes como pensar o que eles andam lendo, vendo, escutando; refletir como anda o processo de humanização dessas crianças. O Educação & Literatura, com Ilan Brenman com o tema O politicamente correto na literatura Infantil e Juvenil acontece no dia 29 de outubro (quinta-feira), das 9h às 11h, na Biblioteca Pública Luiz de Bessa.

Ilan Brenman tem seu talento reconhecido em todo o país. Descobriu a contação de histórias ainda na faculdade de Psicologia. O brilho no olhar das crianças, enquanto narrava, lhe instigou a desvendar e aprofundar cada vez mais no universo infantil. Tornou-se também escritor. Tem mais de 20 livros infanto-juvenis como Conversa pra pai dormir (Ed. Girafinha), O Livro da Com-Fusão (Ed. Melhoramentos) e o premiado Até as princesas soltam pum (Ed. Brinque Book), que narra a história de uma menina que, decepcionada, pergunta ao pai se as princesas soltam pum. O pai, com delicadeza responde que sim e resolve revelar a filha o Livro Secreto das Princesas, relatando uma série de episódios com “flatulências” (ato de soltar gases) ao longo das histórias encantadas, numa singela e divertida viagem pelo universo infantil.

Em sua tese de doutorado, defendida na Faculdade de Educação da USP, Ilan Brenman analisou a presença de termos e atitudes politicamente corretas, nos livros e cantigas infantis. Concluiu que a presença dessas expressões não contribui para a melhora da educação das crianças. Segundo o autor, os novos livros escondem os conflitos, não contêm nenhuma incorreção e isso não é bom para as crianças. Brenman lembra que toda criança tem um lado sádico, e projetar-se numa bruxa, por exemplo, faz com que ela trabalhe essa sua face agressiva. Narizinho teria de ser banida, devido ao seu temperamento rebelde e o Negrinho do Pastoreio passaria a chamar-se Afrodescendentezinho do Pastoreio. Seria mesmo ridículo, afirma.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: